29
Jun 10
Se me disseres para ir, desaparecerei
Diz-me que não me queres ver novamente,
Quero ouvir tais palavras, e assim garantirei
Que a mágoa me manterá lúcida firmemente.

Se quiseres o meu choro, eu diria: desiste.
Faço tudo terrestre, mas nesses momentos
Pareço doutro mundo, por isso insiste
Quero-te ver a chamar meus tormentos.

Se assim for, posso desatar às gargalhadas,
Rir-me em agonia, electrificada.
Espero que o faças, sem ti não sou nada
Sem mim, algo fica por fazer, espero que te lembres.
publicado por misunderstood-ninja às 17:04

The past and its influence in the future – that’s what we are all thinking when the uncertain comes close.
So, we go back to that night when something absolutely surprising and amazing happened, and we think – what have we done so that would happen? – because we want that back, the feelings and the circumstances.
In any case, if we think about horror and bad things that happened or could happen, the fear comes back.
If we think about the good things, we smile and we value everything we have: Maybe that’s what we did that night, maybe that’s the answer.
Let’s hope that the past doesn’t vanish and the future remains unknown, otherwise life would make even less sense.
publicado por misunderstood-ninja às 11:15

28
Jun 10
O que está dentro será sempre o elemento que nos surpreende,
Mas incomoda não saber, tanto ou mais do que incomoda saber.
Tudo o que está no eu, e desconhecemos magoa
Como queimaduras no dia seguinte.

E tendo em conta as minhas feridas que estão cá por tua causa,
Ou por causa de outra pessoa, volto atrás e salto da minha estabilidade,
Que na altura parece tão perfeita, tão confortante, mas rápido nos aprisiona.
Assim sendo, não considero que nada seja estável, ou bom, certo -
A vida humana é uma constante mudança e passos dados à frente e atrás,
Como aqueles jogos de tabuleiro que em criança jogávamos.

E chegando a tais conclusões, em tom de discurso proclamo:
Seria melhor se eu não te tivesse voltado a encontrar.
publicado por misunderstood-ninja às 05:49

26
Jun 10
Quando ele quis virar-se para trás,
Algo no seu corpo o impediu,
Viu-te na sua mente e fugiu
Correndo, com medo do que partiu.

Perante histórias destas, lágrimas deitam -
"Ridículo" não é a palavra, mas muito menos o é "digno"
E assim, depois de eu não me ter virado,
Tu começas um ciclo que não tem fim,
Ou não teve, mas terá,
Já que nada concreto de ti há em mim.

E nada é o significado de uma nova interacção
E será sempre, porque tudo passa,
E se pensas que és imune porque tudo parece
"Oh! Tão perfeito!"... desengana-te.

A definição de mundo tem efemeridade lá no meio,
E o ser humano (bem como tudo o que o envolve)
É o épito do efémero - podendo ser essa a razão de nos acharmos como o centro.
publicado por misunderstood-ninja às 09:41

23
Jun 10

Se o amor fosse real
Decerto ele não se teria iludido,
Porque uma realidade jamais é ilusão
E se sofre por isso, como achá-lo verídico?
Ele não quis saber, ele agarrou-se com unhas e dentes
Mas a visão saiu-lhe cara,
Custou-lhe a inocência e a confiança em qualquer ser humano:
O que é suposto ser o “melhor valor da humanidade”
Desintegra mentes e transforma-as,
Retirando-lhes o bom.
Ele já não é o mesmo, nem vai voltar a ser,
Mas a culpa não é dela, porque se ela se negasse a si mesma
E ao que sentia, era ela que se desintegrava.
Desta forma, quem ataca é quem sai vencido
E quem defendeu sai lesado mas recupera.
Não será o “amor” mais um pretexto para aplicação da lei da força?

publicado por misunderstood-ninja às 15:13

pesquisar
 
mais sobre mim
subscrever feeds
pesquisar
 
mais sobre mim