22
Jun 10
Não gosto de te achar tão longe,
Mas que outra opção tenho eu?
Terias o hábito de monge
Não tivesse descoberto o que agora é teu.

E por estas águas me deixo ir,
Boiando pela vida fora,
Mas não pareço conseguir resistir,
Cada dia a situação piora.

Já não, não irei ceder,
Só o fiz em presença do meu desespero
Que ao meu orgulho conseguiu vencer,
Todavia, foi tudo tão efémero!

Um ano e tal pareceu eterno,
Até ao momento em que me elucidaste
O choque foi um frio de Inverno,
E a tua presença em mim, tu a assassinaste.

Agora o que resta é um ferimento,
Uma vontade irreprimível de esquecer.
Verdade é que em nenhum momento
Novamente, te quererei ver
Outra vez.
publicado por misunderstood-ninja às 09:14

pesquisar
 
mais sobre mim
Analysis
Visitors
free counters
Cc
[img]http://transcriptions.english.ucsb.edu/archive/topics/infoart/chanel/coco-chanel2.gif[/img]
Analysis
Visitors
free counters
pesquisar
 
mais sobre mim
Analysis